Acadêmicos entregam doações de itens de higiene feminina arrecadados durante o FACIT Mulher

As ações realizadas em março, durante o 4° FACIT Mulher, ecoaram em abril. Na manhã da última terça-feira, 19, foi a vez de os acadêmicos do curso de Direito da Faculdade de Ciências do Tocantins doarem absorventes e outros itens de higiene feminina arrecadados durante a ação social.

A atividade faz parte do ensino humanizado desenvolvido na instituição, uma metodologia que promove o acolhimento do acadêmico, que faz com que ele se coloque no lugar dos seus semelhantes. 

“É muito importante que eles tenham esse olhar para o social. O sucesso da campanha de arrecadação de absorventes e produtos de higiene pessoal feminina é um reflexo disso. São ações como essa que vão trabalhando a mente dos nossos alunos, promovendo a humanização”, enfatiza a diretora-geral da FACIT, Dra. Ângela Maria Silva.

A policial penal e diretora da UPF – Unidade Prisional Feminina de Ananás, Danuza Rodrigues da Cunha, foi até a faculdade para receber as doações, mas antes conversou com os acadêmicos sobre o funcionamento de um presídio feminino.

“Precisamos mudar esse olhar sobre a pessoa encarcerada. Então, o que a FACIT está fazendo é muito importante. Temos que lembrar que essa pessoa que está presa hoje vai voltar para a sociedade futuramente. Então, é preciso acabar com esse estigma e trabalhar em prol de aproximar a sociedade dessas pessoas”, pontua Danuza.

A policial penal agradeceu as doações recebidas. “A gente sabe que o Estado não dá conta de arcar com tudo. Nesses tempos pandêmicos, o acesso do familiar ficou mais difícil também. Então, qualquer tipo de doação é muito bem-vinda. Esse gesto por parte da faculdade e dos estudantes vai fazer muita diferença na vida de quem está lá presa”, finaliza.

Participante ativa na iniciativa, a acadêmica do 5° período Elieuda Coelho Gomes destaca o importante papel que a instituição tem com o social.

“As instituições de ensino enquanto partes da sociedade, sobretudo aquelas que fornecem o curso de Direito, devem estar a par desses fatos que ocorrem dentro dos presídios, como a pobreza menstrual. E, ao tomarem conhecimento, devem realizar ações que colaborem positivamente com essas questões. Essa é uma das formas de as instituições cumprirem seus papéis sociais”, finaliza a acadêmica.

Compartilhe esta postagem »»

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
WhatsApp
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support

Eu concordo em receber outras comunicações da FACIT. Para fornecer o conteúdo solicitado, precisamos armazenar e processar seus dados pessoais. Se você consentir com o armazenamento dos seus dados pessoais para essa finalidade. Eu concordo em permitir que a FACIT armazene e processe meus dados pessoais. Nossas práticas de privacidade e nosso compromisso em proteger e respeitar suas informações, estão em consonância com a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados. Política de Privacidade.