Acadêmicos de veterinária da FACIT discutem a violência contra os animais

Empolgados e decididos a abraçar a causa animal. Assim estavam os acadêmicos do curso de Medicina Veterinária da FACIT – Faculdade de Ciências do Tocantins durante a palestra sobre “Maus-Tratos aos Animais”, ministrada pela Presidente do CRMV-TO – Conselho Regional de Medicina Veterinária do Tocantins, Marcia Helena da Fonseca.

A coordenadora do curso de medicina veterinária da FACIT, dra. Fernanda Luz Alves, explica que a palestra tem o importante papel de conscientizar o futuro profissional enquanto acadêmico, porque o médico que ele vai se tornar começa a ser moldado a partir do momento em que ele ingressa na faculdade.

“Eles têm que entender que a abrangência da conduta deles vai refletir no profissional que eles se tornarão no futuro, então essa defesa da causa animal tem que ser conhecida e defendida pelos estudantes”, comenta a coordenadora.

Para os futuros médicos veterinários, é necessário ter consciência de que todos os animais, além dos domésticos, sentem emoção, seja ela alegria, tristeza ou dor. É importante ter um olhar diferenciado para a prática da profissão e denunciar casos de maus-tratos.

“Despertei neles a importância de verificar os animais, de nutrir afeto e carinho para com os bichos e de denunciar qualquer tipo de maus-tratos aos animais, seja ele na prática ou sugestivo,” destacou a palestrante.

A FACIT proporciona aos seus acadêmicos conversas com profissionais de renome, sempre mostrando que áreas da profissão eles podem seguir após a conclusão do curso. A prática acabou chamando a atenção dos estudantes, como foi o caso da caloura do curso, Adna Fernanda.

“A faculdade investir nesse tipo de palestra ajuda muito a frisar esse conteúdo de bem-estar animal. É bem legal poder conhecer mais sobre o assunto por meio de uma especialista, é melhor ainda aprender com esse pessoal de fora sobre mais áreas da medicina veterinária no futuro”, comenta Ana.

O que fala a Legislação Brasileira

No Brasil, a Lei Sansão de número 14.064/2020 fortaleceu o movimento em defesa dos animais, com o aumento da pena de 2 a 5 anos de prisão, além de multa e retenção de guarda, nos casos de maus-tratos intencionais a cães e gatos.

Todos os casos denunciados pela lei 1.095/2019 passam por um processo de avaliação de provas e perícias para que se chegue a uma conclusão. A partir dessa avaliação, se confirmado o crime, quem o comete pode ser penalizado a detenção de direitos quando existe a vontade de ferir, abusar, maltratar e causar danos no animal, conforme resultado da perícia.

Compartilhe esta postagem »»

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
WhatsApp
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support

Eu concordo em receber outras comunicações da FACIT. Para fornecer o conteúdo solicitado, precisamos armazenar e processar seus dados pessoais. Se você consentir com o armazenamento dos seus dados pessoais para essa finalidade. Eu concordo em permitir que a FACIT armazene e processe meus dados pessoais. Nossas práticas de privacidade e nosso compromisso em proteger e respeitar suas informações, estão em consonância com a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados. Política de Privacidade.