Acadêmicos da Facit desenvolvem site de prevenção ao suicídio

16 de setembro de 2020

Espaço contém informações, frases, depoimentos que podem ajudar as pessoas a falarem sobre o assunto, um “ombro amigo virtual”; objetivo é de continuar esta ação independente do mês de setembro

De uma proposta de atividade acadêmica a um trabalho que pode ajudar aquelas pessoas que mais precisam. Quatro alunos do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) da Faculdade de Ciências do Tocantins (Facit) criaram o site “diganaoaosuicidio.com”, com informações, frases, depoimentos que podem ajudar as pessoas que sofrem de depressão.

Alexandre Borges, David Muriel, Eduardo da Silva e Fábio Adler fazem o segundo período de ADS e durante uma aula da disciplina de Laboratório Vida do profº e coordenador do curso, Cássio Cipriano, foi solicitado para a turma que elaborasse um trabalho voltado ao Setembro Amarelo. Seria a produção de conteúdo para uma rede social, mas o grupo foi além e pensou: porque não criar um site.

“David, Eduardo e o Fábio, estávamos debatendo sobre o que iríamos fazer, que tipo de conteúdo iríamos produzir para a proposta do trabalho. Então, o Eduardo surgiu com a ideia de desenvolver um site, fazer uma coisa diferente quem nenhum outro aluno da turma iria fazer”, explicou Alexandre.

Tarefas

A partir do surgimento da ideia, foi colocado em prática para que fosse ao ar e as tarefas foram divididas entre eles.  “O professor Cássio também concordou e a partir daí começamos a desenvolver o site junto com as redes sociais e os conteúdos, onde cada integrante do grupo ficou responsável por uma parte do projeto”, comentou o acadêmico.

A parte do Alexandre foi a produção dos textos e revisão. Já para o David, ficou a pesquisa de frases de auto ajuda; Eduardo ficou responsável por desenvolver o site; e o Fábio ficou responsável por criar o conteúdo para as redes sociais.

Ajudar o próximo

“A ideia do site foi justamente pra isso, poder ajudar quem está passando pela depressão. Geralmente quem passa por essa situação tem medo de conversar ou de falar para outras pessoas, tem medo das pessoas falarem que essa fase que elas estão passando é só frescura, ficarem julgando invés de ajudar, e pra quem já está com depressão ouvir esse tipo de palavra é muito ruim e perigoso”, destacou Alexandre.

Continuidade

Se vão continuar? A intenção é de dar prosseguimento ao trabalho, com mais conteúdo e outros meios de ajudar. “Ainda estamos organizando como será o desenvolvimento do site, afinal o projeto só está no começo pois prevenção ao suicídio não se faz só no mês de setembro, e sim o ano inteiro”, finalizou o acadêmico.

Compartilhar