Acadêmica de Direito da Facit é palestrante em evento on-line da UFT

24 de setembro de 2020

Ana Caroline Apinajé participará da palestra “Indígenas Apinajés e o enfrentamento à Covid-19”, que está na programação da 8ª Semana Acadêmica das Ciências Sociais promovida pela Universidade Federal do Tocantins

Conhecer a realidade dos indígenas neste período de pandemia. Este é o tema principal da palestra “Indígenas Apinajés e o enfrentamento à Covid-19”, que será realizada nesta sexta-feira, 25, das 8h30 às 11h30, dentro da programação da 8ª Semana Acadêmica das Ciências Sociais promovida pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) – Campus de Tocantinópolis. A acadêmica do 3º período do curso de Direito da Faculdade de Ciências do Tocantins (Facit), Ana Caroline Amindy Nonkua Pereira Apinajé, será uma das palestrantes.

“Fui convidada para palestrar juntamente com demais lideranças indígenas e vejo que foi uma oportunidade que tenho de representar meu povo”, comentou Ana Caroline. “Essa é a minha primeira participação em uma palestra espero que seja de muitas que ainda virão”, completou.

Covid nas aldeias

De acordo com a acadêmica, na sua aldeia ainda não teve nenhum caso confirmado da doença. “Na verdade, agora que a Covid-19 entrou em algumas aldeias do povo Apinajé. Agora que estamos vivenciando esse vírus e já estamos aflitos por tudo que está acontecendo”, explicou.

Ana Caroline destacou sobre a importância dos indígenas participarem de eventos como esse para poderem alertar sobre a situação deles nas aldeias. “Essa minha participação vai ser muito importante, pois é onde que muitos não sabem como está sendo esse vírus nas comunidades indígenas. Estamos vivenciando um momento difícil, de acordo com os nossos anciãos eles relatam que há muito tempo teve um vírus que acabou com muitas vidas e nunca pensamos em viver um momento como este”, desabafou.

Ser acadêmica

Ana Caroline destaca ainda sobre ter a oportunidade de fazer um curso superior, especificamente o Direito. “Escolhi a Facit porque nenhuma outra instituição privada deu essa oportunidade pra um indígena ingressar no ensino superior. Vejo que a Facit conhece a realidade da educação indígena e por isso nos deu essa oportunidade”, afirmou.

“Sou grata pela Faculdade Facit em ter aberto as portas de estudos pra nós indígenas, pois o curso de Direito me trouxe muitas visões diferentes para lutar pelos direitos dos povos indígenas”, ressaltou a acadêmica.

Sobre ter escolhido o Direito, Ana Caroline comentou que há uma necessidade de ter alguém que lute pelas causas indígenas. “E por isso o curso de Direito me trouxe uma visão que nós indígenas é que conhecemos a realidade do que vivemos. Eu como indígena da etnia apinajé vejo que não temos ninguém que posso lutar ou até mesmo nos representar”, finalizou.

Compartilhar