Sobre o curso

Todos os amantes dos animais já pensaram em se formar no ramo da Veterinária pelo menos uma vez na vida. Entretanto, é importante que os interessados tenham em mente que é preciso muito mais do que apenas o cuidado com os animais para obter sucesso na área. A Medicina Veterinária exige tanto dos alunos do curso  quanto dos profissionais com  muito empenho e conhecimento nos campos das Ciências Biológicas, Ciências Exatas e Sociais.

Ao final do curso, o aluno formado está qualificado para oferecer assistência clínica e cirúrgica a animais domésticos e silvestres, assim como cuidar da saúde, da alimentação e da reprodução de rebanhos.

No mercado de trabalho, o profissional atua em clínicas pet shops, lojas especializadas em produtos para animais e no setor de agronegócio. Indústrias de produtos de origem animal e de medicamentos e produtos veterinários também estão incluídas.

Ser formado em Medicina Veterinária em nossa região vai te abrir um leque para diversas áreas da medicina veterinária, pois nossa cidade é considerada a capital do Boi Gordo, permitindo sua ascensão nas atividades pecuárias em suas mais diferentes graduações. E também no mercado Pet, que é o mercado em maior expansão do mundo e com grandes possibilidades de crescimento para a região norte do Brasil. Também nos encontramos em uma região de transição entre duas áreas (comunidades ou ecossistemas), o que faz com que tenhamos fauna e flora únicas, o que desperta o interesse de pesquisadores de todo o Brasil, então se você tem gosta de pesquisar, seu lugar é aqui.

Duração

5 Anos

Conceito MEC

4

Turno

Diurno ou Noturno

Investimento mensal

R$ 2.800,95
Quero me inscrever

Corpo Docente

Profª. Amanda Rocha Mortoza

Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília. Graduada em Biomedicina pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás

http://buscatextual.cnpq.br/Amanda

Profª. Carla Fonseca Alves Campos

Graduação em Zootecnia pela Universidade Federal do Tocantins – UFT, mestrado e doutorado em Ciência Animal Tropical pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal Tropical – PPGCAT- UFT.

http://buscatextual.cnpq.br/CArlaFonseca

Profª. Daiene Isabel da Silva Lopes

Graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Tocantins – UFT, mestrado e doutorado em Ciência Animal Tropical pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal Tropical – PPGCAT- UFT. Atualmente é graduada do curso de Biologia- Ulbra TO.

http://buscatextual.cnpq.br/Daiene.lopes

Profª. Fernanda Luz Alves Neves

Graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal do Tocantins – UFT, mestrado e doutorado em Ciência Animal Tropical pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal Tropical – PPGCAT- UFT.

http://buscatextual.cnpq.br/Fernandaluz

Prof. Mario de Souza Lima e Silva

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Goiás. Mestre em biologia animal pelo instituto de biologia pela Universidade de Brasília e Doutorado em biologia molecular pela Universidade Luterana do Brasil.

http://buscatextual.cnpq.br/Mariolima

Profª. Shammara Noleto Santos

Bacharel em Medicina Veterinária formada pela Universidade Federal do Tocantins – UFT. Mestre em Morfologia, Clínica e Cirurgia Animal pelo Programa de Pós Graduação em Sanidade Animal e Saúde Pública nos Trópicos – PPGSaspt- UFT.

http://buscatextual.cnpq.br/ShammaraNoleto

Diferenciais

Metodologia inovadora com PBL e práticas desde o 1 período;

Estrutura pronta para receber os alunos, laboratórios de ponta e modernos;

Biblioteca virtual com acesso infinito de alunos;

Fazenda Escola da FACIT, pronta e adequada para vivências desde o 1 período;

Projeto do Hospital Escola pronto para execução, no Campus II;

Formação voltada para os grandes e animais silvestres;

Inovação na odontologia Animal;

Inovação em Radiodiagnóstico, Ressonância e Tomografias,

100% dos docentes Doutores;

Pesquisa e extensão na base formativa;

Comite de ética Animal implantado;

Convênios firmados, com clínicas e hospitais veterinários e Centros de Zoonose;

Intercâmbios nacionais e internacionais;

Implantação da Revista Científica do Curso .

Metodologias

Metodologias Ativas no Ensino e na Aprendizagem

As escolas que nos mostram novos caminhos estão mudando o modelo disciplinar por modelos mais centrados em aprender ativamente com problemas, desafios relevantes, jogos, atividades e leituras, combinando tempos individuais e tempos coletivos; projetos pessoais e projetos de grupo. Isso exige uma mudança de configuração do currículo, da participação dos professores, da organização das atividades didáticas e da organização dos espaços e tempos. Nas metodologias ativas de aprendizagem, o aprendizado se dá a partir de problemas e situações reais, os mesmos que os alunos vivenciarão depois na vida profissional, de forma antecipada, durante o curso. Um dos muitos modelos interessantes para pensar como organizar a “sala de aula” de forma diferente é olhar para algumas escolas inovadoras. Por exemplo, os projetos das escolas Summit (Summit Schools) da Califórnia equilibram tempos de atividades individuais, com as de grupo; sob a supervisão de dois professores, de áreas diferentes (humanas e exatas) que se preocupam com projetos que permitam olhares abrangentes, integradores, sem disciplinas. Acompanham o progresso de cada aluno (toda sexta feira, conversam individualmente com cada aluno). Os alunos fazem avaliações quando se sentem preparados (MORÁN, 2015).

O ambiente físico das salas de aula e da escola como um todo também precisa ser redesenhado dentro dessa nova concepção mais ativa, mais centrada no aluno. As salas de aula podem ser mais multifuncionais, que combinem facilmente atividades de grupo, de plenário e individuais. Os ambientes precisam de estar conectados em redes sem fio, para uso de tecnologias móveis, o que implica ter uma banda larga que suporte conexões simultâneas necessárias. As escolas como um todo precisam de repensar esses espaços tão quadrados para espaços mais abertos, onde lazer e estudo estejam mais integrados. O que impressiona nas escolas com desenhos arquitetônicos e pedagógicos mais avançados é que os espaços são mais amplos, agradáveis. Há escolas mais em contato com a natureza, que têm vantagens inegáveis para projetos de ecologia de aprendizagem mais integral, mas também há projetos urbanos muito estimulantes como os do Projeto Gente, da Secretaria Municipal do Rio de Janeiro, em que os alunos estão em grupos e os professores circulam entre eles como orientadores (MORÁN, 2015).

PBL - Problem Based Learning

Com o intuito de promover um ensino contextualizado, evolvente e dinâmico, tendo em vista os desafios inerentes ao século XXI, os Cursos da Faculdade de Ciências do Tocantins, sempre atentos aos avanços teórico-metodológicos, são ofertados a partir dos pressupostos epistemológicos do PBL Problem Based Learning (aprendizagem baseada em problemas), uma metodologia baseada em problemas reais do acadêmico, como ferramenta da interdisciplinaridade. Isso porque acredita-se que ao se deparar com situações reais da profissão de cada aluno, a FACIT estará possibilitando ao egresso oportunidades de vivências no que tange aos desafios profissionais, bem como se municiando de pressupostos teóricos e práticos que permitirão um envolvimento sistêmico com sua profissão.

Segundo Rossi (s/d) o PBL é uma proposta pedagógica de ensino indutivo, na qual um instrutor apresenta um desafio aos alunos, os quais, motivados pelo desafio, reconhecem os fatos, as habilidades e o conhecimento teórico necessários à solução do desafio. O instrutor atua como guia nesse processo. Nesse sentido, o PBL é caracterizado como uma abordagem de aprendizagem centrada no aluno, de trabalho em pequenos grupos orientados por um tutor e, o mais importante, focado na aquisição de novos conhecimentos apenas como um passo necessário para a resolução autêntica de problemas pouco estruturados, representativos da prática profissional. Aqueles que defendem a Aprendizagem Baseada em Problemas – APB (em inglês, Problem-Based Learning – PBL) assumem que a solução de problemas deve ser o foco intelectual dos currículos (JONASSEN; HUNG, 2008).

PBL – Um inovador Método de Ensino, o Currículo em Perspectiva

O Projeto Pedagógico do Curso de Medicina Veterinária da FACIT caracteriza-se por redefinir o modo com que os professores de Direito organizam as suas atividades, ou seja, por uma proposta de método de ensino jurídico. A organização das atividades docentes estrutura-se em:

I.     Certa concepção e abordagem de conceitos e competências a serem lecionados;

II.     Um determinado processo de ensino e de aprendizagem, caracterizado pelo emprego de técnicas e estratégias de ensino voltadas para um resultado, que é o aprendizado daqueles conceitos e competências.

Nesse sentido, o Curso de Medicina Veterinária da FACIT postula que o método tradicional de ensino jurídico tem limites em proporcionar ao estudante o aprendizado de outros conceitos e competências fundamentais para o desempenho das profissões jurídicas aclamadas pelas demandas do século XXI. É desse modo que a IES propõe uma redefinição do método de ensino jurídico: trata-se tanto da construção de uma nova abordagem e de uma nova concepção do que é o Direito e, consequentemente, dos conceitos e competências necessários ao saber jurídico, quanto da reformulação do processo de ensino e de aprendizagem, ou seja, um currículo 100% PBL.

Na perspectiva do PBL, redefine-se o processo de ensino e da aprendizagem no Curso de Medicina Veterinária da FACIT mediante a adoção de técnicas participativas que proporcionam uma pedagogia ativa e dinâmica. O objetivo é estimular uma cultura acadêmica em que o aprendizado seja pautado pela participação e pelo envolvimento constante dos estudantes, considerados como sujeitos autônomos e capazes de construir suas próprias ferramentas de compreensão de seu objeto de estudo. Para além da tradicionalmente valorizada habilidade de memorização, essa atitude leva os alunos a adquirir a competência fundamental que um curso de MV tem de promover: o estudo independente de novas situações, impostas com celeridade cada vez maior apresentada pela ordem social do novo século e a consequente adaptação de categorias teóricas em vista das transformações no quadro institucional de um mundo globalizado.

Responsabilidade Social

A partir da promoção de valores ético-sociais e democráticos, o aprofundamento dos compromissos e responsabilidades da Faculdade de Ciências do Tocantins traduz-se pelo respeito à diferença e à diversidade. Nessa linha de conduta traça o eixo que promove as ações de ensino em todos os níveis planejados: a extensão, a pesquisa e a pós-graduação. Tendo como base a responsabilidade social e a preocupação com a saúde bucal, alcança família e comunidade estabelecendo postos volantes de atendimento, bem como as necessidades que surgirem em outros cursos. Essa prática já está inserida no planejamento pedagógico da Instituição a partir do desenvolvimento de suas atividades pedagógicas, sendo que seus objetivos estão voltados ao ensino e à pesquisa a fim de identificar problemas e desenvolver ações pertinentes a cada situação. As atividades propostas nos diversos cursos muito contribuem em relação à inclusão social e em outros aspectos relevantes como a defesa do meio ambiente, da memória e do patrimônio cultural e da preservação do meio ambiente e sua sustentabilidade.