Sobre o curso

Formar enfermeiros críticos e reflexivos, por meio do desenvolvimento de competências para atuar, nos diferentes contextos do processo saúde-doença-cuidado, tendo por referências os preceitos humanitários, éticos, científicos e do Sistema Único de Saúde (SUS) seguindo princípios éticos de humanização, desenvolvendo competências que os torne aptos a tomar decisões baseadas em evidências científicas, exercendo liderança, comunicação e gerenciamento no trabalho dentro de equipes multiprofissionais. E, ainda, ainda, desenvolver habilidades que os levem a se apropriar e utilizar as novas tecnologias em saúde, mantendo vínculo com a educação permanente na busca da excelência, de forma sustentável, na prevenção, promoção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde, tanto em nível individual como coletivo, sempre tendo em vista o bem-estar da comunidade, nos diferentes níveis de atenção à saúde, pautados pelos princípios norteadores SUS.

Formar enfermeiros tendo como pressuposto as necessidades individuais e coletivas da população de Araguaína e seu entorno, respeitando as diversidades subjetivas, biológicas, mentais, de raça/cor, etnia, de gênero, de orientação sexual, de identidade de gênero, de geração, social, econômica, política, ambiental, cultural, ética, espiritual e levando em consideração todos os aspectos que compõem a pluralidade humana e que singularizam cada pessoa, grupo e coletividades.

Proporcionar aos acadêmicos conhecimentos para o desenvolvimento de competências e habilidades técnico-científicas, de comunicação, administração e gerência, capazes de exercer observação, análise e síntese para desempenho de sua profissão de forma reflexiva, crítica e criativa e humanizada capaz de se apropriar e recriar o conhecimento, comprometidos com a integralidade, equidade e universalidade da assistência com vistas ao atendimento do Sistema Único de Saúde, da saúde complementar e da realidade social;

Estimular o acadêmico a atuar na conformação de um modelo integral à saúde com ênfase na saúde do individuo como parte de uma comunidade que precisa ser assistida na prevenção, recuperação e educação para manutenção do bem-estar geral;

Proporcionar aos acadêmicos o desenvolvimento de habilidades para agir e interagir em diferentes realidades as quais estão em constante transformação;

Desenvolver a capacidade dos acadêmicos de realizar análise crítica e contextualizada da realidade social e de perfis epidemiológicos para identificação de problemas intervindo de forma a levar os sujeitos a entenderem e se comprometerem em ser responsáveis pela sua condição de saúde individual, social e coletiva;

Proporcionar a construção do conhecimento e desenvolvimento de habilidades para o processo de cuidados do indivíduo e do coletivo;

Instigar no acadêmico a desenvolver sua formação pautada no conhecimento baseado em evidência, promovendo assim, a cultura da educação permanente não somente durante a sua formação acadêmica, mas durante sua vida profissional;

Capacitar o acadêmico para elaborar, participar e aplicar pesquisas e/ou outras formas de produção de conhecimento que objetivem a qualificação da prática profissional;

Promover a formação de profissionais para atuar com competência e segurança na promoção, prevenção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de Enfermagem em nos níveis, primário secundário e terciário de atenção à saúde;

Proporcionar a formação de um profissional habilitado para o trabalho na saúde, nos diversos campos de atuação, tais como hospitais, consultórios médicos, instituições educacionais e de pesquisa, como profissional liberal, em indústrias, escolas, comunidade, unidades de saúde entre outros;

Formar um profissional apto a atuar sobre problemas/situações do processo de saúde-doença conforme o perfil epidemiológico nacional, com ênfase na sua região de atuação;

Estimular o desenvolvimento de habilidades para realização de procedimentos técnicos específicos do profissional de enfermagem;

Formar um enfermeiro para atuar em equipes multiprofissionais, que reconheça e contribua para a saúde como um direito de todo cidadão, garantindo a integralidade da assistência;

Estimular no acadêmico a desenvolver sua formação pautada no conhecimento baseado em evidência, promovendo assim, a cultura da educação permanente não somente durante a sua formação acadêmica, mas durante sua vida profissional;

Formar um enfermeiro com capacidade de gerenciamento da assistência de enfermagem e de serviços de saúde;

Instigar no acadêmico a capacidade de liderança para que possa exercer o papel de líder de trabalho em equipes de enfermagem e de equipes multiprofissionais como profissional responsável pelo planejamento, implementação e avaliação de programas de formação e qualificação continuada dos trabalhadores da saúde;

Formar enfermeiros que contribuam para melhora da qualidade da assistência de enfermagem, a partir da oferta de profissionais de enfermagem qualificados para o exercício profissional, garantido assim, segurança através da competência do profissional que chaga ao mercado de trabalho.

Duração

5 anos

Conceito MEC

5

Turno

Noturno
Quero me inscrever

Coordenadora

Dênia Rodrigues Chagas

Pós Doutora em Docência Universitária pelo Instituto Universitário Italiano de Rosário- IUNIR-AR, Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Uberlândia, Pós-Graduada em Enfermagem em Urgência e Emergência e UTI (PUC/GO).

Currículo Lattes, Clique AQUI

 

Metodologia Ativas

O Curso de Bacharelado em Enfermagem da FACIT (CBE) é inovador, e se efetiva mediante um Currículo Integrado ancorado nas Metodologias Ativas Problem-Based-Learning (PBL), Team-Based Learning (TBL) Aprendizagem Baseada em Equipes e Metodologia da Problematização com o Arco de Maguerez, o que consiste no ensino e na aprendizagem a partir da resolução de problemas reais durante todo o Curso, por meio de atividades práticas simuladas e reais.

Hospital Simulado Realístico

O Hospital Simulado Realístico (HSR) da FACIT apresenta uma estrutura tecnológica que propicia aos estudantes do curso de Bacharelado em Enfermagem uma vivência de situações que poderiam ser reais, mediante simulações. Estas, por conseguinte, são realizadas mediante tarefas e se utiliza da reprodução parcial ou total dessas tarefas em um modelo artificial, denominado simulador, e de cenários simulados com pacientes standarizados. O HSF conta com simulação de UTI, enfermaria e consultórios, todos com simuladores de procedimentos hospitalares de alta tecnologia, que auxiliarão os futuros médicos na aprendizagem de técnicas. Cada simulador possui funções diferenciadas para abranger diversas áreas de conhecimento.

Práticas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS)

Já no primeiro ano Após abordagem, debate dos conteúdos, os acadêmicos de enfermagem acompanhados do professor vão em grupos visitar diferentes realidades como: aldeias indígenas, asilos de idosos, orfanatos, populações que moram próximos a lixões, etc. Objetivo da Ação: através da visita e conversa com os moradores /responsáveis pelo local, os acadêmicos poderão observar o modo de vida, a rotina, as doenças prevalentes daquela população (faixa etária, raça, nível de escolaridade, costumes, hábitos de higiene, alimentação, etc). Ainda no Primeiro ano tem vivência nas UBSs, aproximando os estudantes da realidade profilática da região, preparando-os não somente para as próximas etapas do Curso, mas para uma formação que favoreça o exercido da Enfermagem com segurança, qualidade e humanização.

Empreendedorismo e Inovação

O Empreendedorismo no CBE é uma realidade que se efetiva em todas as etapas do Curso. Além dia uma disciplina própria com 40h, essa atividade está disposta no LABVIDA, o objetivo é potencializar a educação empreendedora nas atividades de ensino, pesquisa e extensão, visando à transformação do conhecimento em produtos, processos, serviços e ações inovadoras em benefício do desenvolvimento econômico, social, ambiental e qualidade de vida.

Quanto às Inovações Pedagógicas Significativas, notadamente em relação à flexibilidade dos componentes curriculares e às oportunidades diferenciadas de integralização do curso, refletem-se nas diferentes perspectivas, mais precisamente na eliminação da rigidez estrutural da matriz curricular, mediante a redução, ao máximo, dos pré-requisitos e na inclusão de disciplinas que efetivamente forme o enfermeiro numa concepção holística.

Programa de Mobilidade Acadêmica Nacional e Internacional

A partir das ações do Núcleo de Apoio à Internacionalização (NAI), a FACIT mantém um programa de mobilidade no Brasil e em países como Estados Unidos da América, Portugal e Bolívia. Para a efetividade do Programa, em 2017 a FACIT associou-se à FAUBAI Brazilian Association for International Education – Associação Brasileira de Educação Internacional – organização fundada em 1988, que reúne cerca de 180 Instituições de Ensino Superior do Brasil. O objetivo é promover a integração de seus membros, além do intercâmbio e da cooperação nacional e internacional como instrumentos para a melhoria do ensino, da pesquisa, da extensão e da administração das instituições filiadas. Foi em 2017 que o primeiro acadêmico que cursava Análise e Desenvolvimento de Sistema cursou um semestre na Universidade Lusófona do Porto – ULP, em Portugal, garantindo uma qualificação profissional que o credenciou a ser contratado efetivamente por uma grande empresa da área.